Conceição, mcdmagalhaes@bol.com.br, publicamente me escreveu, e lha respondo:

Klauss:

Achei bem interessante conhecer um pouco de sua trajetória estudantil no Fórum Mineiro. Fiquei muito curiosa para conhecer o Klauss professor.

Conceição se refere ao Fórum Mineiro de Educação Inclusiva, à sua recente reunião no Campus Coração Eucarístico da PUC Minas, durante a qual fui eleito Coordenador para a Região Central de Minas Gerais, e Presidente para o Biênio 2005/2007; diz das minhas falas apresentando-me à candidatura. O que pretendi informar é que em mim se confundem, dês ainda findando o curso primário, a trajetória de educando com a de educador, certamente que a princípio pouco mais que umas brincadeiras, mas realmente já além. Tais perduram, meio século adiante passado. Permaneço educador, e ainda estudante. Talvez de tanto o remanescer aventuroso, irreverente, insubmisso, afrontador,... às vezes até inconseqüente... quando me formar é possível que me regenere... daí nunca terminar meus estudos!

Seria interessante e bastante rico para nós você contar um pouco dos projetos que você desenvolve com suas turmas.

Estudamos “Filosofia da Arte”, através do “Desenvolvimento da Criatividade”, em turmas de estudantes do 2º e 3º Ciclos numa Escola da Comunidade da Vila Pinho, a E.M. CIAC Professor Lucas Monteiro Machado. O Bairro é um dos desaguadouros de todas as mazelas sociais acumuladas nas periferias de metrópoles. Também participo de uma turma de Pós-graduandos da UFLA, sob a Coordenação da Profa. Dra. Zenita Guenther, e a orientação de um discípulo meu, Prof. Dr. José Luiz Acebal Fernandes, do Mestrado do CEFET/MG. Junto a uma equipe do IBASE/CEDERJ desenvolvo estudos de “Controle Social do Orçamento Público”. A meu filho, acompanho-o num iniciar de interesses afetos à arqueologia histórica, sob orientação do Prof. Dr. Carlos Mágno Soares, da UFMG. Além do que pesquiso, diuturnamente, legislações educacional e administrativa. Nos intervalos, menores do que necessito, ando por montanhas, do Caraça principalmente.

Retornando aos primeiros, os trabalhos se desenvolvem com o mínimo possível de pré-interferências. Tenho-o conseguido a despeito de inúmeras críticas, as principais de quem nunca se interessou por saber o que lá acontece, por parte de algumas (pessoas?) que putrificam-se nos limites de suas ignorâncias, a escudarem suas diferenças e pequenezas pessoais, tentando prejudicar-me por todas as formas profissionais e até familiares... e se dão com as bestas n’água! Ossos da Arte...

Arte, com maiúscula e no singular, que é ao objetivo filosófico que se reporta, e não a pseudo-resultados imediatistas, factícios do folclore escolar demonstrados nos canhestros expositivos dos orgulhos medíocres dos docentes de das mamães. Não trabalhamos pelo resultado expositivo de bonitezas baratas em qualquer sentido. Aplicamos-nos, e a maioria não o descobre de imediato, por uma sedimentação que ensejará esta consciência, ainda que o seja bem a posterior.

Melhor do que o discursar, amostrar o que, não obstante não ser objetivo, tornou-se a acumulação de alguns de nós. Busque no meu “sítio”, às páginas:

ARTEEDUCAÇÃO E ENSINOTRABALHO NA EDUCAÇÃO

Você para mim é um “herói”, pois sempre o vejo nos seminários ou congressos; sua presença na lista é constante; seu nome está nos fóruns conselhos etc, etc, etc.

Primeiro, ao alçar-me a tal conceito, agiganta as minhas responsabilidades, cujas necessidades de forças alquebram-me fisicamente, já mais de dúzia de lustros os transcorridos, mas permaneço na busca de os merecer, energia e méritos. Secunda minha índole angariar muitos adversários e alguns inimigos, que os tenho, e que certamente não simpatizarão com suas invectivas... deixemo-los soçobrarem-se nos despeitos, e nas incúrias.

Qual o produto que você tem vendido para seus alunos atualmente? (já que, como você disse, suas aulas são vendidas, não dadas).

Este o crucial problema. Quanto mais nos apaixonamos pel@s comprador@s, menos nos pagam. Busco vender-lhes preciosidades pelas quais não me remunerarão em espécie, por ser impagáveis, os saberes. Adiante lhe indicarei amostras de ressarcimentos que me vêm às burras, cada vez mais repletas de quais, motivos de minha já incomensurável fortuna. Quanto valem os amigos? Assim...

...como educador, vendo-lhes os caminhos, mas nunca lhes vendo os caminhos!

Você se preocupa muito com os alunos bem ou super dotados; que tal nos dizer um pouco sobre o trabalho desenvolvido com estes estudantes?

Infelizmente, muito, atualmente ainda não trabalho metodicamente (retornando) com estas identificações, ou com os suspeitados, por absoluta impraticabilidade conjuntural. Estou a matutar a respeito, em busca da aplicação social de uma de minhas Especializações, da qual estou afastado há duas décadas. De lhes lecionar, pois absolutamente presentes os resultados... retorne ao meu interlocutório globalizado, à recente crônica...

extra 20: singelas respostas ampliadas

ver também: Educação Inclusiva e Educação de Bem Dotados

Conceição

mcdmagalhaes@bol.com.br

Klauss Athayde, 17/06/05 ; RG 10.324.924 SSP/SP;

klauss@klauss.com.br; kathayde@bol.com.br